recomece correio desconstruindo cultuando
30 de novembro de 2014

Desconstruindo as dezessete primaveras

O sono dos justos.

Tenho escutado essa história já faz um bom tempo. Muito antes do meu nascimento, a minha família estava passando por um momento difícil pois há pouco tempo todos haviam perdido a minha avó materna. Não demorou muito até que de repente a minha mãe, após se sentir mal, descobriu que estava grávida de mim. Foi um momento muito interessante, já que depois de ter dois filhos, ela jamais imaginou que um dia enfrentaria a maternidade novamente. Mas creio que eu cheguei no momento certo para alegrar todos à minha volta, ao menos é o que diziam. E não foi diferente... mês após mês era uma ansiedade constante até descobrir que ela estava grávida de uma menina, e então a alegria da família foi ainda maior, principalmente para o meu pai que até então só tinha filhos homens.

O meu pai estava muito frenético pois apesar de já ser pai, era a primeira vez que estava trazendo uma garotinha ao mundo. A sensação que ele tinha era de como se estivesse começando uma nova vida aos cinquenta anos. O meu nascimento mexeu com muitas emoções.

Foto do meu primeiro aniversário. A saudade é ininterrupta!

Há 17 anos atrás a minha madrinha Jô foi a primeira pessoa, seguida do meu pai, a ver as minhas bochechinhas. Ela se lembra muito bem da enfermeira da maternidade apertando as minhas bochechas pelo vidro e apontando para as do França, pasma com a semelhança. Os meus primeiros momentos de vida foram muito intensos, todos queriam ter a chance de me encher de beijos e me colocar no colo, mas como o amor de mãe fala mais alto, a dona Maria me protegia com o cuidado dobrado. É engraçado saber como os corações aceleravam ao me ver ainda bebê, todos estavam extasiados de entusiasmo.

Dá pra perceber a grande semelhança, não é? O meu pai era um homem muito incrível!

Então eu fui crescendo, e a minha mãe passou a congregar na Igreja Verbo da Vida. Aos meus três anos de idade eu chamava atenção de todos daquele lugar. O meu pastor é americano e o desafio da vida dele naquela época era me conquistar. De domingo à domingo ele abria os braços para que eu cedesse à espera de que um dia eu finalmente fosse para o colo dele. A sua fé era tão grande que ele nem sonhava em desistir, até que este dia chegou e ele conseguiu conquistar o meu coração. Pode parecer uma bobagem mínima, mas isso serviu para que ele contasse como testemunho sobre exercer a perseverança. E desde então eu sou a sua ovelha.

Na graça do Criador, os anos foram se passando e hoje eu estou aqui para contar os feitos do Senhor. Quando passamos por inúmeras turbulências mais um ano se torna motivo de muita alegria e gratidão. Eu sou muito grata porque Deus jamais desistiu de mim, mesmo quando tudo parecia perdido, sem rumo. Perdi um pai fisicamente, mas ganhei um Pai celestial ainda melhor, sem defeitos e singelo em tudo o que faz.


Eu nunca me senti tão amada quanto no dia 28 de novembro. Ainda nesta semana eu havia declarado que esse dia seria frustrado, é incrível como o poder do arrependimento e mais uma oração repreendendo este pensamento mudou assim que eu acordei. Naquela manhã muito bem ensolarada, Deus já estava se manifestando de uma maneira sobrenatural e Ele se mostrou mais presente do que nunca o dia inteiro, a graça de fato superabundou. Foi uma surpresa atrás da outra, quando eu pensei que estava bom demais pra ser verdade fui surpreendida em dobro. O Senhor fez ainda mais além do que eu imaginava. Um dia recheado de sorrisos, alegria e expectativas. Eu estava rodeada pelos meus melhores amigos que incessantemente me quiseram tão bem e pela minha mãe que sempre sonhou os meus sonhos. Foi especial em cada detalhe. Bom mesmo é escolher depender do Espírito Santo.

1ª Eu e o meu primo em algum dia feliz provando o bolo. 
2ª Marcando presença com a minha mãe preciosa.
3ª A Alana passou o dia inteirinho me acompanhando com muito amor.
4ª Os melhores amigos que eu poderia ter, Mylena e Pedro.

Por fim, o objetivo desta publicação é desconstruir um pedacinho da minha história e os momentos mais marcantes da minha vida. Tudo foi escrito com muito carinho. Agradeço à Deus, à minha família e aos amigos por fazerem de mim quem eu sou hoje. Já fazem 17 primaveras caminhando em estatura e crescimento espiritual. Um beijo no coração de cada um que me faz sentir amada. Amo vocês!

4 comentários:

  1. Oh mo Deus... Que fofura! <3
    Muitos e muitos aninhos de vida, meu amor.
    Saiba que daqui para frente, sempre haverá uma doida cantando no face/whats pru cê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaa saiba quem tem alguém aqui de aracaju que te amo muitão em Cristo Jesus, Dani. Dupla honra na sua vida! <3

      Excluir
  2. Que texto lindo. Fiquei sem palavras. É incrivel a tua semelhança com o teu pai, as buchechonas (que espero um dia apertar :3), os traços do rosto, o olhar.. Sei que ele te olha com muito orgulho, pelos teus principios e propositos. Fico muito feliz de fazer parte da tua vida, mesmo que de longe, te ver caminhando em direção aos braços do pai, que tu nao se desvia desse caminho jamais! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As bochechas são o meu cartão de visita kkkkkkk. Amém, maju. Fico tão feliz de receber essas palavras de conforto. Obrigada por ser uma das minhas melhores amigas, você é essencial para o meu crescimento espiritual. Eu louvo à Deus pela sua vida, mesmo de tão longe, já a amo muitão! <3333

      Excluir