recomece correio desconstruindo cultuando
18 de fevereiro de 2015

Combatendo a cegueira espiritual com a palavra.



“No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. Ela estava com Deus no princípio. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas, e as trevas não a derrotaram.” João 1:1-5

A palavra se fez carne e este foi o plano perfeito projetado pelo Criador do universo desde o princípio. Deus tinha em seu coração um desígnio para enviar o seu filho, sem pecado algum, em sacrifício na cruz por todas as nossas dores e erros por amor a toda humanidade. Jesus Cristo veio ao mundo com o propósito firmado para ministrar as boas novas e depositar a esperança da vida eterna.

“Disse Jesus: Eu vim a este mundo para julgamento, a fim de que os cegos vejam e os que vêem se tornem cegos.” João 10:39 | Neste versículo da carta de João, Jesus revela a sua vinda à terra para que o mundo reconhecesse as suas boas obras e a graça que ele carregava por meio do seu poderoso nome. Contudo, mediante à cegueira espiritual, muitos o negaram perante os homens e julgavam àquele cujo pecado não ousava afligir, em extremo estado de incredulidade carnal. A estupidez de um povo escarneceu a sua visão e o seu espírito.

As escrituras do Apóstolo Paulo, cujo nome foi designado pelo próprio Messias, revelam o seu testemunho vivo pelo qual passou mediante a essa cegueira, e foi necessário ficar cego para poder enxergar a glória do Deus vivo. Após a crucificação de Cristo, Paulo foi o soldado que cruelmente perseguiu, olho por olho, todos os que seguiam os ensinamentos do verdadeiro evangelho. Através do seu ódio disseminado contra os cristãos, o mesmo passou a ser temido por onde os seus pés pisassem. Até que ao terceiro dia da prometida ressurreição, enquanto estava a perseguir os discípulos e os apóstolos em Damasco como Atos 9 descreve na Bíblia, Paulo respirava a assassino ao encontrar com Jesus, que brilhava ao seu redor como uma luz que havia caído do céu, e só foi retornar às suas ações ao ficar literalmente cego. Em meio as suas dificuldades, ele teve o tempo suficiente para refletir, se arrepender e meditar naquilo que faltava em sua vida. Deus tinha um propósito ao restaurar inteiramente a sua visão e através da cura, ao ser batizado nas águas por Ananias, ele pôde reconhecer Jesus como o seu único Senhor e Salvador, não filosofias ou religiões, nem mesmo os modismos de movimentos humanos.

Eu fico completamente fascinada com a história da conversão do Apóstolo Paulo em suas cartas. Ele foi um homem que morreu para os seus pecados e foi ousado o suficiente para escolher viver segundo o coração de Deus, custe o que custasse. Se permitiu ser cheio do Espírito Santo para proclamar e anunciar aos quatro cantos da terra o real caráter do Senhor, e foi destemido para fazer a boa obra pelo qual foi escolhido segundo estava escrito no livro da vida. “Sede meus imitadores, como também eu de Cristo.” 1 Coríntios 11:1

Meus queridos, assim como Paulo conduzia a verdade pregando para diferentes públicos, sendo corajoso e destemido, não podemos permitir que essa cegueira espiritual alcance as nossas vidas para que também não nos tornemos cristãos atormentados, acanhados, medrosos e preguiçosos. “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura.” Marcos 16:15

Que a paz do nosso Senhor seja com vocês e que a graça esteja sobre a vida de todos os que O amam com amor incorruptível.
Em amor, Carolina.

2 comentários:

  1. Cada vez mais sinto orgulho de vc amiga. Li e gostei da palavra, principalmente quando diz "não podemos permitir que essa cegueira espiritual alcance as nossas vidas para que também não nos tornemos cristãos atormentados, acanhados, medrosos e preguiçosos".. me identifiquei de certa forma.

    Te amo princesa!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse comentário é muito gratificante de se ler, amiga. Sei que eu estou no caminho certo realizando a boa obra pelo qual o Senhor implantou esse chamado no meu coração: ministrar o evangelho através dessa ferramenta tão fantástica que tem alcançado muitas vidas. Que esta palavra se torne verdade todos os dias das nossas vidas, não só hoje!
      Te amo muito, Vi. Obrigada por todo apoio do mundo.

      Excluir